Em algum momento é chegada a hora de sair do ninho! A gente nunca sabe de que forma vai ser e por qual necessidade e esse processo é muito único para cada um de nós.

Como foi ou está sendo para você? Saiu de casa por causa da faculdade em outra cidade? Foi promovido e o cargo era em outro lugar? Ou simplesmente quer mudar os ares, já que a vida financeira finalmente se emancipou das dependências familiares? Seja qual for o motivo, é hora de comemorar que, agora, você está indo atrás de um cantinho que vai ser seu novo lar.

Organizara a nova rotina, alinhar os gastos e todo o funcionamento de uma casa, leva um tempinho e também assusta, mas tudo o que combinado, ou melhor, planejado, não sai caro!

Na hora de pesquisar um imóvel para o seu primeiro aluguel, toda atenção para os detalhes que irão aparecer, principalmente, porque em muitos casos essa pode ser a primeira vez que você estará firmando contratos mais burocráticos e sérios.

Isso vai te ajudar a evitar futuros imprevistos. Não se esqueça de que uma boa imobiliária nesses momentos é essencial!!

Se atentando bem aos detalhes, você vai conhecer bons imóveis e refletirá entre possibilidades melhores antes de tomar a decisão. Ouça as dicas dos amigos e familiares que possuem uma vida semelhante a que você vai encarar a partir de agora.

VALORES: ALUGUEL E CONDOMÍNIO

Até qual valor você pode arcar em aluguel e condomínio? Certamente, respondendo a essa pergunta, você vai filtrar bem as suas possibilidades de locação. Trabalhar ou estudar próximo de onde você vai morar ajuda bastante, economizando em transporte. Você já tem mobília ou precisa de um apartamento que venha equipado? Tudo isso vai variar o preço do seu aluguel.

Uma dica de especialistas é:

O aluguel não deveria ultrapassar de 30% da renda mensal.

Sabemos que nem sempre isso é possível e acessível de se aplicar, pesquisar bastante antes de assinar o contrato serve para nos aproximar o máximo possível disso.

Alguns condomínios já incluem certas despesas como: água, internet e gás encanado, por exemplo. Os que não incluem, podem te oferecer um valor menor, mas não terá muitas regalias, apenas manutenção geral do edifício e portaria 24 h.

Pense em contratar um seguro no momento da locação. Sim, você vai ter um custo a mais, mas se previne de danos em encanamentos, parte elétrica e hidráulica.

LOCALIZAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E LOCALIZAÇÃO

Agora que você já definiu o quanto está podendo investir, tente optar pela melhor localização possível, considerar as suas necessidades é fundamental. Escolha um apartamento próximo aos locais que você irá todos os dias, como faculdade ou trabalho. Nesses momentos, considerar o tempo de locomoção é bem importante.  Ninguém quer chegar atrasado, não é?

E não e só isso… localização também é segurança. Caso você esteja indo para uma outra cidade, longe de qualquer familiar, visite o bairro que pretende morar antes de se mudar. Peça referencias de quem já o conhece, pergunte os horários e movimentação do local. Assim você vai ter diferentes visões e opiniões sobre o lugar, te dando mais confiança nessa nova etapa.

CHEQUE TUDO NA VISITA: INSTALAÇÕES DO APARTAMENTO E DO EMPREENDIMENTO

A visita começa chegando no prédio, olhando lá de fora o estado em que o empreendimento se encontra. Pinturas, rachaduras, infiltrações, estado do elevador (caso tenha), fechaduras e atenção ao estado das paredes e do piso.

Não tenha pressa! Abra as portas dos armários dos quartos, da cozinha e do banheiro. Verifique se as janelas abrem facilmente. Você terá uma noção bem realista do estado do apartamento, podendo solicitar algum reparo ou mudança.

CONVERSE COM OS MORADORES DO PRÉDIO

Veja se consegue contato de algum morador para conversar sobre a realidade do condomínio, vizinhança e tudo mais… Calma, não precisa fazer um questionário de perguntas, com poucas informações você já vai se sentir seguro para fechar o contrato.

NA PRÁTICA!!

Conversamos com duas pessoinhas que passaram pela transição da mudança e toparam compartilhar como foi esse momento!

Mariana Ornelas, 22, é jornalista e trabalha como produtora de conteúdo na empresa NS Link em Londrina. Nasceu em Umuarama – PR, mas decidiu fazer a sua graduação na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Assim que mudou para Londrina, em 2016, precisou ver tudo de maneira repentina, pois já havia iniciado outro curso no Rio Grande do Sul. Foi então que percebeu as complicações e, ao longo do tempo, as delícias de morar só. Ela nos contou como foi esse processo… vem ver!

“Faltando duas semanas para começarem as aulas, comecei a pesquisar apartamentos e mostra-los para os meus pais. Nenhum de nós conhecíamos Londrina, mesmo morando em uma cidade próxima – Umuarama -, não temos familiares por aqui também. Já de volta para Umuarama, enviei mensagens para imobiliárias de Londrina, reservando as chaves de alguns apartamentos para a visita. Conversei com meus veteranos do curso e eles me indicaram morar no centro, já que existia uma variedade de linhas de ônibus em qualquer horário. A localização era o mais importante para mim. Foi assim que escolhi um apartamento duas quadras próxima à Av. Higienópolis. O apê tinha um quarto grande, uma sala e cozinha, não era muito antigo, como são conhecidos os apês do centro e estava bem conservado.

Já o estudante de medicina, Jordy Guimarães Costa, 21, começou a sua trajetória na graduação agora. Após a felicidade de passar no vestibular de uma universidade federal, fazer as malas foi inevitável. Jordy foi para Porto Alegre – RS cursar na UFRGS.

“Foi complicado do começo ao fim. Não tinha conhecidos na cidade e todas as imobiliárias exigiam, por segurança, aluguel com fiador (que possuísse no mínimo duas casas próprias, ser casado e morar em Porto Alegre) ou o seguro fiança (uma opção sem fiador porém deixava o valor final mais salgado). Resolvi partir para os grupos de Facebook, onde vários universitários se juntam procurando quartos pela cidade. Hoje, consegui um quarto de 32 m² e está bem próximo de onde estudo. Porto Alegre é um cidade cara para moradia, meus gastos aqui não são pequenos.

Hoje, Mariana já mora em outro apartamento, ainda no centro de Londrina, e está bem mais a vontade na cidade, já fez vários amigos e pode ser alguém que te ajude a encontrar um bom lugar para ficar. Jordy, agora, fala ‘bah’ e ‘tche’! Tudo isso faz parte do processo de mudança que não se limita ao território, chega até na língua e no reconhecimento de um lugar.

E então… Está prestes a bater as asas? Não tenha medo, pesquise bem, ouça dicas e qualquer dúvida, procure a gente! Estaremos a sua disposição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s